KYUNGSOOBRASIL.com / Fanbase brasileira dedicada a Doh Kyungsoo

 

“A faixa dos vinte anos, dos que têm sede de sonhos e engolem as dificuldades da vida. Conheça Taejung, um jovem puro que, desesperado, envolveu-se com porte de drogas devido à necessidade de dinheiro. Do Kyungsoo (24), mostrou um desempenho refinado e detalhado para o personagem realista e complexo, Taejeong. Agora estamos bastante familiarizados com ele, tanto como ator, quanto como membro do  EXO. Aqui estão as palavras de um ator promissor em seus 20 anos que possui uma reputação por sua boa habilidade de atuação.”

 

Seu cabelo ficou mais curto. Parece que foi para a filmagem de “Swing Kids” (2018, Kang Hyungcheol)?
Está certo. Estamos em nossa sexta rodada agora. Eu tenho aprendido sapateado por causa do meu papel como um soldado norte-coreano que se apaixona por sapateado, e é muito divertido. Não é como aprender coreografia para o palco. É mais como aprender um novo instrumento, como tocar bateria com os pés.

 

Vamos falar sobre o filme “Room no.7”. É uma comédia de humor negro que envolve drogas. Um ídolo como você aparecer nele foi algo inesperado.
O presidente Shim Jaemyung, da Myung Films, disse o mesmo. Foi sugerido para mim pelo estúdio e eu li o script proposto em uma sessão. Eu queria tentar porque, mesmo gostando de comédias de humor negro, eu ainda não havia participado de uma. O caráter de Taejung era distinto e encantador por causa disso. Ele é um garoto legal, mas rápido para perceber coisas e um pouco frio. Ao vê-lo lutar com seus problemas reais e realidade difícil, foi direto ao meu coração.

 

Você já teve experiências difíceis como Taejung?
Nada pesado como as dele, mas sei o quão sufocante é ter começado a trabalhar mais cedo do que seus colegas. No filme, Taejung diz: “Por que isso tem que ser tão difícil?” E eu coloco muita emoção nessa linha porque é importante e diz muito sobre ele. Nós somos muito semelhantes em aspectos da nossa personalidade. Quando estou em uma situação ruim, tendo a suprimir como ele. E nós somos o tipo de pessoa que assistimos atentamente dos fundos em vez de chamar a atenção para nós mesmos.

 

A tatuagem na parte de trás do pescoço deixou uma forte impressão. Combina com a personalidade de Taejung também.
É por isso que a fizemos (risos). Eu consultei o diretor sobre fazer uma tatuagem para ele e o que deveria ser, e ele sugeriu letras. Eu olhei através de um muitas frases e “Você não precisa trabalhar duro para agradar a todos” me impressionou. Nós decidimos usá-la porque pareceu certo para Taejung.

 

O que você pensa ao trabalhar com o seu sênior, Shin Hakyun?
Cresci assistindo seus filmes, então foi incrível e divertido estar junto com ele. Eu pensei que ele seria assustador no início, mas ele na verdade é bem atencioso. Ele é quieto e calmo, mas assim que entramos na filmagem ele se torna outra pessoa (risos). Ele também se prepara bastante. Nós combinamos juntos, mesmo sem um longo ensaio e isso surpreendeu a nós dois.

 

O encanto oculto de “Room no.7” é a visão crítica da sociedade da Coreia do Sul.
Gostei muito da mensagem contida em sua crítica social. “Room no.7” foi o filme de abertura do BIFAN em julho, e foi ali que o assisti. Minha atuação sempre precisa melhorar, mas no geral, o filme foi divertido. Eu assisti ao filme do diretor Lee Yongseung ‘10 minutes’ (2014) enquanto procurava filmes indie há anos. Os personagens eram tão reais que eu queria atuar como um trabalhador precário no setor público. Então eu descobri que ‘10 Minutes’ era trabalho do diretor Lee Yongseung. Quão feliz eu estava?

 

Como foi trabalhar com o diretor?
Ele é alguém que compartilha suas opiniões com uma mente sempre aberta. Ele não insiste obstinadamente em seus pensamentos. O diretor nos contou muitas histórias no set para nos tornar mais reais. A verdade é que Taejung inicialmente era mais silencioso e menos desafiador. Quando eu disse ao diretor que ficaria mais adequado se Taejung fosse um pouco mais conflituoso, o mudou. Ele mesmo teve uma luta contra Taejung.

 

Você trabalhou sem descanso desde “Cart” (2014, Bu Jiyoung). Parece que você tem um amor incomum por atuar.
Tenho muitos desejos com a atuação (risos). Porque através dela eu encontrei diversão na vida. Isso me surpreende, sentir o quanto ela mudou minha percepção emocional e me fez crescer. Sinto tudo o que os personagens que interpreto sentem. Quando eu atuei como Taejung, imaginando e percebendo o quão difícil o seu passado deve ter sido ajudou-me a compreendê-lo mais. Espero ser capaz de expressar mudanças sutis na emoção um dia, enquanto acumulo mais dessas experiências.

 

Você gosta de filmes o suficiente para voltar a vê-los? Qual você gostou recentemente?
Ultimamente, fiquei tão ocupado que não tive tempo de assistir nenhum. Ah, eu vi ‘Birdman’ (2014, Alejandro Innaritu) novamente em casa. É um filme louco com um mudança inesperada de enredo que eu nem poderia ter imaginado (risos). Pode até ser o meu favorito de todos os tempos. Tem um formato tão exclusivo e fiquei surpreso com a forma que retrata a atuação e a vida dos atores . Eu também assisti ‘Cast Away’ (2000, Robert Zemeckis) cerca de seis vezes. Eu acho que é porque toda vez que vejo o filme, continuo vendo coisas novas nele. Isso é incrível e divertido, então eu acabo revendo novamente.

 

Você ainda vai ao cinema?
Muitas vezes, quando é tarde da noite. Silenciosamente, quando não há ninguém. (risos)

 

 

Agora você está se preparando para a próxima turnê do EXO, filmando para “Swing Kids” e promovendo para “Room no.7”. Você parece estar realmente ocupado.
Tenho sido muito ocupado desde o debut. Há muitas coreografias novas para aprender para esta turnê. Além de aprender sapateado e falar com um sotaque norte-coreano. Puxa, honestamente, não é fácil, mas eu ainda deveria aprender a suportar isso. Toda vez que estou filmando pra alguma coisa eu digo a mim mesmo que vou fazer uma pausa depois que acabar, mas eu continuo esquecendo porque um filme em que eu quero estar surgirá. Não é bom viver assim, ficar acostumado a um ritmo ocupado.

 

Um hobby que você gosta fora do trabalho?
Eu não fiz nada além de trabalhar ultimamente… Ah, cozinhar! Eu gosto de comer, então eu cozinho com freqüência. Eu gosto de cozinhar para mim mesmo, mas também para as pessoas que me rodeiam. Fiz um bom peixe assado recentemente. Alguns dias atrás convidei os membros do EXO para comer peixe assado, arroz frito, e sopa de molusco que fiz para eles. Fiquei feliz em vê-los aproveitar (risos).

 

 
 


Tradução em Inglês: FYDK-TTRANSLATIONS, dyororo_
Tradução em Português: D.O. Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *