KYUNGSOOBRASIL.com / Fanbase brasileira dedicada a Doh Kyungsoo

02_F974D734CAB94ED8A589F0E729BAA51C

Palavras-chave: Adaptação. Agora. Calma.

Você se acha uma pessoa consistente?

“Eu não acho que haja alguém no mundo todo que seja consistente. Claro que há as pessoas iluminadas e excepcionais, mas (pessoalmente) eu ainda não somei nenhuma mudança para me considerar consistente. Eu apenas costumo aceitar o que me é dado. Também é assim que sou como cantor e ator. Acho que é natural mudar a si mesmo para se adaptar a uma situação. Não é uma regra nem nada, mas acho que eu sempre devo fazer o que eu puder dentro das circunstâncias.”

Qual é a sua memória mais antiga?

“Eu não acho que tenho nenhuma memória antiga. Eu esqueço do passado facilmente, e é da minha personalidade olhar para frente. Então acho que eu não tenho nenhuma memória específica. Admiro muito quando eu vejo os membros relembrando suas memórias antigas. Eu ainda lembro do ensino médio. Eu lembro, no primário, de coisas como subir a montanha próxima a nossa escola e brincar por lá. Nós tínhamos uma montanha ao lado da escola, e eu ia brincar nas árvores e na terra com meus amigos.”

Houve vezes em que você pensou em si mesmo como um adulto?

“Eu nunca pensei em mim como adulto. Um dia, quando eu me tornar avô, será que irei pensar assim? Não sei. Eu terei que ser um para saber, até agora eu não acho que tive um desses momentos. Eu ainda me vejo como jovem e inexperiente. A primeira vez que tomei bebida alcoólica, em vez de pensar “Eu cresci”, eu pensei “Eu me tornei um adulto (legalmente).”

Você acha que as pessoas são formadas principalmente por fatores internos ou externos?

“Por causa dos externos. Eu acho que as pessoas são todas iguais. O que eles têm quando nascem, o que possuem de início, eu não acho que muda. Uma pessoa muda mais pelas pessoas e o ambiente que a cercam.”

O que você acha que não muda em si mesmo apesar de tudo que o cerca?

“Hm, dependendo de como o ambiente em que estou muda, eu acho que eu irei mudar muito. Sempre mantendo uma coisa em mente, “Não vamos machucar os outros.”

Em que momento você é mais você mesmo?

“Agora. Apenas eu mesmo. Eu não acho que haja um momento onde eu seja ‘mais’ eu mesmo.”

Houve algum momento em que as pessoas às quais você é próximo pareceram desconhecidas?

“Não. Quem quer que pudesse ser, eu acho que você tem que conhecer uma pessoa por quem ela é, saber respeitar suas escolhas e como admitir seus erros caso você tenha falhado com elas.”

Há alguma coisa que você precisa para entender os outros?

“Que a pessoa se abra, principalmente. Eu tenho que ser aberto primeiramente para entender os outros.”

Quanto ao jeito que você trata os outros, você é do tipo que entende a pessoa primeiro ou a julga?

“Depende da pessoa. Eu irei julgá-la baseado em que tipo de pessoa ela é e suas ações.”

Você sente a pressão de ter que satisfazer as expectativas de outras pessoas?

“Bastante, desde o debut. É sempre estressante.”

Em algum momento você já descarregou essa pressão?

“Será que isso vai acontecer alguma vez na minha vida? Se eu não fosse um membro do EXO, eu provavelmente estaria silenciosamente fazendo outra coisa que eu quisesse. Nesse caso, eu mesmo iria me pressionar, em vez de ser as expectativas de outros.”

O que você acha que é o mais importante para realizar seus objetivos?

“Não seria como eu me controlo? Eu ainda não encontrei a resposta, mas eu acho que a coisa mais importante é estar tranquilo consigo mesmo. Tenho que manter a calma para alcançar minhas metas. Se eu estiver inseguro, ou com medo, eu não acho que elas se realizarão algum dia.”

Qual é o seu maior medo agora?

“Eu tenho muito medo da impressão que estou passando. Como as pessoas vão me ver? Eu acho que ainda tenho pouca confiança.”

Você é do tipo que acredita em destino ou não?

“Eu acredito no destino. Elas são certas – as coisas inevitáveis que eu não vou prever. Eu acredito completamente que ele existe independente de qualquer coisa que eu possa fazer.”

O que você mais valoriza que não seja visível aos olhos?

“Algo invisível, bem… Eu acho que tudo que não é visível tem valor. Eu não consigo escolher a coisa mais valiosa, visível ou não aos olhos. Na verdade, é bem difícil de escolher.”

Se pudesse, o que você tornaria eterno na Terra?

“Eu gostaria que não houvesse mais nenhum desastre natural, como grandes terremotos ou tufões. Que um estado de ausência de grandes desastres naturais fosse eterno, porque são coisas que as pessoas não podem fazer nada a respeito.”

D.O.
 


Tradução em Inglês: FYDK-TRANSLATIONS
Tradução em Português: D.O. Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *